22/06/2021

primeiros devaneios com 21 aninhos

21 anos. Cheios de intensidade, sensibilidade, criatividade, resiliência e renovações. Sinto-me a cada dia desapegada das artimanhas cíclicas, seja em amizades, paixões ou interesses.

Viver a vida é um ato de espontaneidade! Por mais trivial que seja a rotina em meio a tempos tão confusos e acelerados, o que de fato eterniza nossa jornada são as sementes que plantamos a cada dia. Posso não ter a vida mais ousada, a potência e robustez de uma personalidade saturada pelas vivências do mundo, ou até a sagacidade registrada por entre mil memórias, pelo contrário, meu olhar continua inocente perante o mundo, ávido por experimentações sinceras e constantes, entusiasmada a cada dia com a própria morada de meus sonhos.
Talvez a busca infindável que meu coração utópico deseja nunca seja possível prevalecer nesta realidade, provavelmente o caos destas energias imaginárias prevaleça apenas em palavras, em nostalgias irreais, ou diante de momentos de infinitude. Nem sempre a vida nos levará a caminhos que tanto almejamos, talvez estes caminhos nem sequer existam principalmente se você fomenta ficções a todo momento, inconscientemente. E no meio de tanta pressa e ansiedade, diante das inseguranças e desânimos casuais, perigosamente me perco de meus propósitos principais, enaltecendo erroneamente a tontura do fracasso do que a conquista da tentativa, que pouco a pouco, me levará onde tanto pretendo estar. Nenhum esforço é em vão. Mas esta vida tão confusa que bagunça meu voo por entre a realidade e a fantasia, consegue sutilmente equilibrar meus ânimos em dias como hoje. Somente assim, respirando calmamente, silenciando a mente, esquecida de quaisquer expectativas e rodeada pelos poucos que acolhem-me do jeitinho que sou, é que consigo entender um pouco toda a vastidão que ecoa pela profundidade de meu espirito. Fantasias, sensações, sensibilidade, emoções, curiosidade, conexões, simplicidade, canções... É no sereno destes clamores que moldo silenciosamente meu império de memórias. Isto também é viver. Mesmo que seja isoladamente, distante de olhares, distante de barulhos, distante de atenção...

Só eu, o Oásis das imaginações e o acolhimento dos meus afetos.

02/05/2020

O Silmarillion: Quenta Silmarillion - Da vinda dos elfos e do cativeiro de melkor (3)


Este capitulo do Silmarillion é um tanto quanto complexo. Há muitas informações que precisam ser digeridas com calma...
Bom, como está descrito no titulo, será abordado finalmente sobre a tão esperada vinda dos elfos! Finalmente os Primogênitos despertaram, vamos saber um pouco mais sobre isso?

19/04/2020

O Silmarillion: Quenta Silmarillion - Aulë e Yavanna (2)


Neste capitulo do Silmarillion veremos sobre a origem dos Anões e dos Ents. Estes dois Valar, Aulë e Yavanna, são importantissimos na participação e compreensão destas criações.